Para colocar um ponto final no ciclo das dietas e alcançar uma perda de peso duradoura é preciso fazer as pazes com a comida, isto é, estabelecer uma nova relação com a alimentação.

Sabemos que muitas pessoas fazem esforços enormes e dietas muito restritivas e até emagrecem, mas a médio prazo voltam a engordar, repetidamente.

Por que o efeito sanfona acontece?

Porque, na maioria das vezes, o que está em jogo na relação com a alimentação para a manutenção do sobrepeso, é uma desconexão entre as sensações de fome e saciedade físicas e o fato de que se come por motivos não fisiológicos e sim emocionais.

Por exemplo, comemos algo gostoso por tédio ou como prêmio depois de um dia chato, ou mastigamos um pacote de amendoim sem perceber enquanto “maratonamos” uma série. Comemos uma caixa inteira de bombons como alívio para as tensões da rotina, como escape de ansiedade, pela preocupação com um assunto específico, pela frustração gerada por outro e etc. Muitas vezes, é como se comêssemos as nossas emoções; culpas, medos, apreensões e, em geral, não nos damos conta disso.

comer emocional

Mulher comendo chocolates Fonte: Canva

Comer Emocional x Necessidade Fisiológica

Quando existe o comer emocional, o que está regulando o quanto ou quando comemos não são as nossas necessidades físicas e, por isso, passamos do que seria nosso limite natural.

Por isso, apenas fazer dietas não é o suficiente. Uma vez que acaba o período de restrição (que justamente organiza a quantidade e qualidade do que devemos comer), volta-se a comer pelos motivos errados e em dissonância com o corpo, e volta-se a ganhar peso, num ciclo infinitamente repetitivo.

Como romper esse ciclo?

A única forma definitiva de romper com esse ciclo é ter autonomia com relação à comida. Ela passa por, de fato, poder escutar as necessidades do corpo e respeitá-las. Assim como poder comer de tudo, sem ser refém da mentalidade de dieta.

Para isso ser possível, é preciso conhecer-se muito bem, entender, acolher as emoções que seriam vividas através da comida e permitir outros destinos a elas. É, de fato, poder ter as rédeas de sua alimentação nas mãos.

comer emocional

Como sair do ciclo da dieta? Fonte: Canva

Psicoterapia para o Comer Emocional

A psicoterapia focada no comportamento alimentar visa resgatar a conexão com o próprio corpo, no reconhecimento de suas necessidades e limites e compressão da dinâmica emocional em torno da comida, para cada paciente. Pelo acolhimento das emoções em jogo é possível ir se aproximando do que está por trás delas e desenvolver outros recursos – além de comer! – para enfrentá-las. Sentir autonomia com relação à comida é não se sentir escravo dela ou de dietas, é poder desfrutar de se alimentar de forma variada e intuitiva, sem temer suas escolhas.

*este texto foi escrito para o site www.institutobarini.com.br. Todos os direitos reservados.