ENTENDA O COMER TRANSTORNADO E SAIBA COMO O COMPORTAMENTO RELACIONADO À COMIDA PODE AFETAR A SUA SAÚDE

Mulher triste e indecisa entre sobremesa e salada - comer transtornado

Comer transtornado

Não podemos chamar o comer transtornado  de distúrbio alimentar grave, pois ele ainda não e classificado como, mas é um meio não saudável que os indivíduos se relacionam com sua alimentação.

Que nunca fez uma dieta da moda? Acho que pouquíssimas pessoas nunca fizeram.

Muitas pessoas fazem dietas, dietas da moda que prometem milagres. Estas dietas são a base de compensações o tempo todo. Elas tiram algum grupo alimentar do seu cardápio (por exemplo o glúten), ou fazem com que você pule refeições extremamente importantes para sua saúde, são as que têm a denominação comer transtornado.

 

O QUE É COMER TRANSTORNADO?

É quando uma pessoa se alimenta entre o comer normal e o transtorno alimentar. A pessoa que tem suas refeições de maneira transtornada tem comportamentos parecidos com os de um transtorno, mas não tem especificações para fechar o diagnóstico de transtorno alimentar.

Ao se falar em comer transtornado, falamos diretamente de uma pessoa que tem uma relação negativa com sua alimentação. Envolve pensamentos e sentimentos problemáticos em relação à comida e ao corpo, como culpa e arrependimento, assim como mecanismos de compensação, entre outros. Isso gera uma série de atitudes inadequadas, como ficar se alimentando só de líquido no dia seguinte a uma festa, por exemplo.

Estes comportamentos estão cada vez mais frequentes e comuns, o que não deve ser considerado normal.

Para vocês entenderem melhor o que é o comer transtornado, vou falar algumas características básicas das pessoas que vivem com esta questão: não se alimenta direito por medo e também por culpa, fazem dietas nada saudáveis e frequentemente, retiram grupos alimentares das refeições sem orientação médica, tem episódios de comer compulsivamente ou às vezes exageram na alimentação, para perder ou controlar o peso, utiliza-se de métodos compensatórios.

O comer transtornado é uma questão que merece muita atenção por si só. E além disso ele pode ser um gatilho para distúrbios alimentares mais graves. Nem toda pessoa com transtorno alimentar teve um comer transtornado, mas muitas começam desta forma.

 

COMO IDENTIFICAR O COMER TRANSTORNADO?

O indivíduo que se alimenta com o comer transtornado não está obrigatoriamente acima do peso. Mas muitas vezes ele não está satisfeito com seu corpo atual e decide fazer algumas coisas que podem ser prejudiciais à sua saúde na tentativa de controlá-la.

Dois alimentos - um tido como saudável e outro como proibido - comer transtornado

Comer transtornado

O comer transtornado tem características específicas, as quais podemos identificar:

  • Tem o costume de pular refeições;
  • Fazem bastante jejum;
  • Fazem restrição constante de calorias, alimentos ou nutrientes;
  • Necessidade de controlar a própria alimentação e o corpo;
  • Sentem muita culpa e descontrole depois de comer algum alimento “proibido” ou comer exageradamente, mesmo que este momento tenha sido pontual;
  • Problemas de auto imagem corporal;
  • Categorização os alimentos em bons e ruins;
  • Acreditam e fazem  dietas milagrosas;
  • Sofrem ao se alimentar.

 

QUANDO O COMER TRANSTORNADO “VIRA” DOENÇA?

Para diagnosticado como uma doença, o transtorno deve ocorrer em uma frequência e intensidade específicas. O comer, para essa pessoa, não é normal e há um sofrimento muito grande relacionado ao corpo.

É comum que estas pessoas tenham outras doenças como depressão e ansiedade. Por isso, os tratamentos dos transtornos alimentares são realizados com medicações específicas, além da ajuda de uma equipe multidisciplinar. Além do psiquiatra, é necessário o acompanhamento psicológico e de nutricionista especialistas no transtorno.

 

COMER TRANSTORNADO É DIFERENTE DE TRANSTORNO ALIMENTAR

Apesar de os temas serem bastante complexos, a diferença entre os dois temas é simples. O comer transtornado não é considerado uma doença. São problemas alimentares relacionados a comportamentos inadequados para perder peso.  Já os transtornos alimentares, como anorexia, bulimia ou compulsão alimentar, são doenças psiquiátricas baseados em características psicológicas, comportamentais e fisiológicas que afetam o comportamento alimentar e que precisam de tratamento multidisciplinar especializado.

 

EXISTE PREVENÇÃO PARA O COMER TRANSTORNADO?

O melhor caminho para a prevenção do problema é a discussão saudável sobre o assunto. Falar abertamente sobre o perigo dos modismos alimentares que surgem. Viver permanentemente de dieta não é normal. É importante que as pessoas debatam o quanto esse tipo de conteúdo vem influenciando suas opiniões sobre si mesmos e suas atitudes em relação à comida.

Caso você sinta que sua alimentação tem te incomodado, procure a ajuda de um especialista em Comportamento Alimentar para que ele possa te ajudar nessa jornada de saúde e auto cuidado.

 

COMO A NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL E A PSICOLOGIA PODEM AJUDAR?

Prato vazio com fitas métricas entre os talheres ilustram o comer transtornado

Comer transtornado

O comer transtornado não precisa ser medicado, a pessoa não precisa de remédios para melhorar. Estas pessoas precisam de acompanhamento com nutricionista e de um psicólogo especializados em Comportamento Alimentar, para fazer com que o paciente diminua o julgamento sobre quais alimentos são bons e os ruins, os ‘engordativos’ ou os “emagrecedores”. Até porque isso não existe! Uma coisa é comer uma sobremesa às vezes, outra é estar triste e comer um pote de sorvete ate ver o fundo e passar mal. Os profissionais irão trabalhar com essa flexibilidade, entendendo e lidando individualmente com cada caso.

Lidar com os sinais de fome e saciedade e entender as necessidades do corpo são outros aspectos utilizados no tratamento do comer transtornado e “tratados”. Lembrando que, comer saudável envolve o bem-estar físico, social e mental.

Abaixo, algumas formas como trabalhar com o paciente:

  • Aprender a lidar com comentários de pessoas sobre o peso;
  • Trabalhar o contrassenso entre conhecimentos e atitudes, como: saber que fruta é importante e, mesmo assim, não comer;
  • Trabalhar o conhecimento correto e adequado sobre alimentos, nutrição exercício;
  • Orientar sobre porções adequadas dos alimentos sem estimular comportamentos radicais ou práticas inadequadas de perda de peso;
  • Ajudar o paciente a lidar com suas emoções consideradas desagradáveis, sem tentar regulá-las com a comida;
  • Ajudar o paciente a resgatar seus sinais internos de fome e saciedade e a respeitá-los;
  • Treinar o paciente para identificar os níveis de fome;
  • Encorajar o paciente a pedir ajuda de familiares e amigos;
  • Ajudar o paciente a fazer atividades prazerosas, que estimulem crescimento e confiança;
  • Orientar a diminuir o contato com determinadas mídias que passam mensagens distorcidos sobre peso, corpo, emagrecimento e alimentação;
  • Trabalhar habilidades de organização e planejamento da alimentação.

SAIBA MAIS…

Caso você queira ter mais orientações sobre o comer transtornado, entre em contato comigo.

Eu como psicóloga e chef de cozinha especializada no assunto, posso te ajudar a escutar seu corpo e te mostrar como ter um bom relacionamento com os alimentos.

Aprender a ter uma boa convivência com os alimentos, saber como se alimentar saudavelmente é muito importante.

Para maiores informações:
E-mail: contato@anabarini.com.br
WhatsApp: +55 11 98331-5170