Flexitarianismo, o que é?

O flexitarianismo, ou vegetarianismo casual, está em crescente popularidade. É uma dieta plant-based que diminui a emissão do carbono e melhora a sua saúde com um regime alimentar quase vegetariano, mas que ainda permite a ingestão de pratos com carne ocasionalmente. O aumento do flexitarianismo é resultado de uma mente mais sustentável: hoje 14% da população se considera flexitariana. Isso acontece porque nem todo mundo está disposto a seguir uma dieta “tudo ou nada”, mas ainda assim estão preocupados com sua saúde e de nosso planeta.

flexitarianismo

Afinal, o que os flexitarianos comem?

Os flexitarianos podem comer uma variedade imensa de alimentos, mas o objetivo é que sejam plant-based. Alguns podem escolher um dia da semana para consumir alimentos sem carne, por exemplo, enquanto outros limitam o consumo de carne a uma vez por semana.

O Flexitarianismo pode salvar o planeta?

Um dos líderes do movimento é Brian Kateman, que diz que reduzir o consumo de carne pode resolver muitos problemas, sem a necessidade de sermos tão puritanos como em uma dieta exclusivamente vegetariana ou vegana.

Todos concordamos que uma redução drástica no consumo de carne é necessária para manter a saúde do planeta e dos indivíduos. O que não está claro, porém, é como atingi-la. Segundo o Greenpeace, “a produção de carne emite o mesmo volume de Gases do Efeito Estufa de que todos os carros, caminhões, aviões e navios do planeta juntos. No Brasil, além das emissões, a produção pecuária está constantemente associada à retirada de direitos de trabalhadores, povos indígenas e comunidades pressionadas pela expansão da fronteira de produção agropecuária”.

O consumo excessivo de carne, como outras crises ambientais, precisa de soluções políticas, mas a maior discussão sobre se devemos ou não comer carne permanece no âmbito pessoal. Até agora a maior mudança nas nossas dietas veio de uma pequena – mas crescente – porcentagem de pessoas que identificam-se como vegetarianas ou veganas. Uma pequena mudança em sua alimentação pode provocar uma grande transformação para as futuras gerações.

Qual o impacto que o flexitarianismo pode causar?

Enquanto para se cultivar um quilo de milho são necessários 1500 litros de água, para se produzir 1 kg de carne bovina são necessários mais de 15 mil litros de água e a vaca precisa consumir entre 10 e 16 kg de cereais. Para a carne suína, são 6 mil litros de água e 4 kg de cereais. Para ter uma base, para produzir um filé de 200 gramas, são necessários cerca de 45 bacias de cereais! Isso sem citar as purinas, resíduos líquidos formados pela urina e pelas fezes dos animais, geradas principalmente em fazendas de suínos e com graves consequências para o solo e para as águas subterrâneas.

Por esses dados, surgiu a campanha mundial “World Meat Free Day”, ou no Brasil, “segunda sem carne“. De acordo com essa campanha, se toda a população brasileira deixar de comer carne uma vez por semana, será economizada uma quantidade de carbono equivalente ao consumo anual de energia de 6 milhões de residências… Além disso, o Greenpeace lançou uma campanha global chamada “Less and Better” (menos é mais), a favor de uma alimentação mais equilibrada para a saúde e para o planeta, com menos carne no prato. Com tanto encorajamento, imagina o que poderia acontecer se reduzíssemos drasticamente este consumo?!

Perguntas e respostas sobre Flexitarianismo

De onde veio o conceito do flexitarianismo?

A palavra flexitariano existe desde 2003, quando foi escolhida pela Sociedade Americana do Dialeto como a ‘palavra mais útil do ano’.

O que eu sou?

Vegano: não come nenhum produto de origem animal..
Vegetariano: não come carne ou peixe, mas come ovos e leite.
Pescetariano: não come carne mas come peixe, ovos e leite.
Flexitariano: come carne ocasionalmente, peixe, ovos e leite.
Reducetariano: está reduzindo a quantidade de carne, peixe, ovos e leite.

Por que reduzir?

Diminuir o consumo de produtos de origem animal reduz o risco de doenças cardíacas e certos tipos de câncer, diminui a emissão de carbono e o sofrimento dos animais, até mesmo alivia a crise global de água e comida.

O que é carne in vitro , carne artificial ou carne cultivada em laboratório?

A ideia é bem simples na realidade, é criar carne animal sem o uso de animais! O processo envolve retirar as células de animais e colocá-las em uma mistura que ajuda em um meio contendo os nutrientes necessários para a proliferação e maturação do tecido muscular.

Os veganos e vegetarianos também podem ser flexitarianos?

Sim, eles podem sim ser flexitarianos, pois reduziram o seu consumo de carne de forma tão eficiente que hoje não comem nenhuma!

O flexitarianismo promove o vegetarianismo ou o veganismo?

O flexitarianismo pode certamente empoderar algumas pessoas para que reduzam o seu consumo de produtos animais e influenciá-las a deixar de consumir, mas outros podem simplesmente comer menos – e tudo bem.

E outros produtos de origem animal, como ovos e leite?

Os flexitarianos são encorajados a também reduzir seu consumo de leite, ovos, e outros produtos de origem animal.

Quanta carne você pode comer em uma dieta flexitariana?

Existem três níveis flexitarianos: iniciante, avançado e expert. Dependendo de quanta carne você come, você cai em uma destas categorias. A parte mais importante do flexitarianismo não é quanta carne você consome, mas quantas refeições vegetarianas a mais você prepara, e quanto mais você come alimentos vegetarianos, como feijão, nozes e grãos.

  • Iniciante: dois dias sem carne por semana
  • Avançado: de três a quatro dias sem carne por semana
  • Expert: cinco dias sem carne por semana

Que tal comer ainda menos carne?

Cortar o consumo de carne por completo traz muitos benefícios para a sua saúde: diminui risco de doenças cardiovasculares, diminui o risco de diabetes, diminui o risco de câncer, melhora o funcionamento do intestino e ainda deixa a sua pele MUITO mais bonita!

MARMITA VEGANA, SUA MELHOR AMIGA

Comer menos carne é um novo movimento?

O flexitarianismo não é novo! Muitos governos, instituições e algumas escolas encorajam a diminuição do consumo de carne em campanhas há anos – só não havia nome para isso ainda.

Ser flexitariano significa comer tofu e saladas o dia inteiro?

De jeito nenhum! Existem algumas receitas deliciosas com tofu e saladas, mas a dieta flexitariana abre um leque de opções de alimentos vegetarianos que são suculentos e não te deixam com fome – nada de cenoura sem graça por aqui!

Quais são os resultados esperados para quem segue esta dieta?

Os flexitarianos pesam 15% menos, têm uma taxa de doenças cardíacas, diabetes e câncer menor, sem contar que vivem 3.6 anos mais em comparação com os carnívoros. Além disso, esta dieta ajuda a domar os desejos por alimentos processados e junk food, já que estão comendo mais comida natural e integral, com menos açúcar refinado e preservantes.

FALE COMIGO PELO WHATS!